CONFLITO DE GERAÇÕES NO MERCADO DE TRABALHO. UM NOVO OLHAR SOBRE O MESMO TEMA

Responsável: Felipe Medeiros

A tempos o mercado nos aponta um cenário pessimista de conflito de gerações, o qual afirma que o mundo corporativo sofre com disparidades de ideais e valores, devido as diferenças de idade e tempo, principalmente, o qual cada geração teve sua formação profissional. Todavia, entende-se que esta diversidade de gerações estará presente no mercado por tempo indeterminado, o que nos força a administrar estes recursos de forma que este conflito passe a se tornar um diferencial competitivo, por consequência, de uma potencialização de gerações.

Cada profissional possui habilidades que se destacam e em mão inversa, possui também seus pontos de melhoria. Da mesma forma cada geração profissional possui seus pontos fortes e fracos, cabe ao verdadeiro administrador, saber alocar cada recurso em sua respectiva área a qual desempenham melhores resultados.

Um panorama ideal o qual percebe-se esse “complemento” de gerações é o âmbito das empresas familiares. O binômio “experiência e inovação” é exemplo disto. De um lado, existe o conservadorismo e o know how de quem desenvolveu o negócio do zero. Do outro, se tem dinamismo, velocidade e um olhar com novas perspectivas sobre o mesmo negócio. Estas lideranças atuando de forma individual, ocasionará em um conflito na administração geral da Companhia. Porém, se atuarem em conjunto, se complementando em uma única direção clara e objetiva, se terá uma potencialização de resultado baseada em uma potencialização das gerações presentes no negócio.

Outro exemplo claro e atual que se tem presenciado é a própria COMJOVEM. Diversas entidades sindicais estão mesclando suas Diretorias com membros da Comissão Jovem da NTC&Logística pois entende-se que este composto de “experts and trainees” atuando juntos, somam-se as habilidades e especialidades de cada geração trazendo melhores resultados para elas.

Este novo olhar sobre o mesmo tema se baseia em premissas básicas da avaliação de cada grupo. Baby Boomers e Geração X garantem o foco na atividade fim, atenção na estabilidade e saúde financeira, muito planejamento e pouco influência externa. Se preocupam com o básico bem feito e continuidade da Organização. Gerações Y e Z, trazem para complementar a gestão muita tecnologia, velocidade de informação para tomadas rápidas de decisão, audácia e ousadia em novas frentes e principalmente conectividade com o mercado externo e networking.

Duas gerações responsáveis pela formação de novos líderes e duas outras gerações atuantes como trainees, absorvendo ao máximo todo o conhecimento possível dos experts e prontos para os novos desafios de mercado. A junção destes diferentes tipos de profissionais traz à empresa o verdadeiro ponto de equilíbrio de sua alta gestão. Aqueles que souberem administrar as diferenças e conduzir suas equipes a um trabalho em sinergia em prol do objetivo final da Companhia, estão prontos para abandonar o velho cenário do mercado coorporativo e garantirão a sua respectiva entrada no verdadeiro “mar azul” do mundo dos negócios.